quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Máquinas de encordoar

Vi há algum tempo atrás um tweet de um famoso encordoador/lojista dizendo que deve-se sempre preferir máquinas eletrônicas a máquinas manuais, pois são mais precisas e seguras. Estou fazendo esse post justamente para explicar como funciona cada uma e para discordar dessa afirmação( mas respeito a opinião de cada um ), mesmo porque o que mais importa num encordoamento – assim como no tênis – é a técnica de quem utiliza o equipamento( nesse caso, o encordoador ), e não o equipamento que ele usa.

Primeiro vamos às máquinas manuais: chama-se manual o sistema que tensiona a corda, e existem basicamente dois tipos, de alavanca( lockout ) e de pêndulo( dropweight ). As máquinas de alavanca são as mais comuns aqui no Brasil, pois é a mais barata comercializada aqui( infelizmente nunca vi uma de pêndulo ser comercializada oficialmente no país tupiniquim ).

Máquina de alavanca - lockout
E como funciona cada uma? Bom, na de alavanca, o encordoador roda a catraca que está fixada num trilho, e ao fazer isso, o sistema aplica tensão na corda. A tensão é escolhida através de um seletor mecânico de mola, fazendo com que o sistema sempre trave ao alcançar a tensão desejada.
 
Máquina de pêndulo - dropweight
Na máquina de pêndulo, o sistema é mais simples e utiliza a força mais básica que existe na terra: a força de gravidade. A máquina consiste basicamente de um pêndulo que pode ser manuseado para cima e para baixo, e ao abaixar o pêndulo( que possui um peso que pode se mover ao longo de uma barra ), o sistema aplica a tensão na corda. Você sabe que está aplicando a tensão escolhida ao deslizar o peso pela barra quando ela fica paralela ao chão.









Enfim, existem as eletrônicas, que como diz o próprio nome, não exige esforço do encordoador: você simplesmente prende a corda no sistema e aperta um botão – ela aplica a tensão desejada até parar.


Máquina eletrônica

Cada uma exige um nível diferente de manutenção. A máquina de pêndulo exige apenas limpeza, pois não necessita de regulagem( a não ser que a força de gravidade da Terra mude, mas aí não teríamos muito o que fazer, certo? ). A máquina de alavanca exige manutenção constante, tanto na limpeza como na calibração as molas – conforme ela vai sendo utilizada, o sistema vai perdendo o ajuste inicial e precisa de manutenção. Mas isso é fácil e barato. Já as eletrônicas precisam de manutenção quando há falha no sistema, e isso geralmente sai caro – mas isso é recompensado pela rapidez que o encordoador necessita para trabalhar e por poupar esforço.

Sobre a precisão: é perfeitamente possível executar um serviço preciso em qualquer uma das máquinas, contanto que o encordoador saiba o que está fazendo em cada uma delas e que mantenha-as perfeitamente calibradas. E sobre a segurança: é perfeitamente seguro encordoar uma raquete em qualquer uma delas, contanto que o encordoador saiba prender corretamente a raquete.

Ainda sobre a segurança, existem máquinas com 2 pontos de fixação e máquinas com 6. Aí sim fica a diferença: máquinas com 6 pontos de fixação mantém a raquete mais firme durante o encordoamento, o que garante mais segurança à raquete. Um encordoamento mal feito pode deformar a raquete, e causar quebras prematuras. Por isso recomendo encordoar as raquetes em máquinas de 6 pontos.

E depois de tudo isso é que eu digo: uma pessoa que sabe o que está fazendo pode encordoar muito bem em qualquer máquina, enquanto que outra que não tem a mínima idéia, vai fazer um péssimo encordoamento em qualquer máquina.

Curiosidade: possuo uma máquina de pêndulo, igual à da foto do post. Nunca tive problemas com ela, e aliás, ela é até melhor para encordoar cordas de poliéster e co-polímeros, que precisam de um jeito diferente de encordoar. Mas isso é assunto para um outro post.

Um abraço, e bom bate bola!

12 comentários:

  1. nao posso dizer q nunca tive curiosidade de operar uma dessas maquinas. so encordoo uma vez por mes ( as vezes, mais tempo )...nao vale o custo de ter uma. mas a curiosidade de como seria se eu tivesse, perpetuará até se lá quando.

    abs Dado!

    rafa_cs

    ResponderExcluir
  2. Rafa, realmente uma máquina de encordoar é um investimento alto, que só valerá a pena se encordoa várias raquetes por mês e também complemente encordoando para amigos. No meu caso valeu a pena, fora o gosto de encordoar a própria raquete e entender como cada coisa afeta o jogo.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Meu pai é dá velha guarda de encordoadores aprendeu encordoar na Mão mesmo sem maquina depois de começou com as maquinas de peso ou pendulo, durante o período das maquina de mola, meu pai nunca gostou muito. e realmente a Mola pode varias a libragem não só conforme o uso, mas também com a temperatura, pois a mola dilata.
    Hoje na loja temos 2 maquina eletrônicas da babolat, são muito precisas sim. mas realmente o que importa é o encordoador saber o que esta fazendo, começar a raquete pelo centro prender bem na maquina sem deformar o aro, não esticar de 2 em 2 as cordas e sim 1 a 1, um recurso bem util que a maquina eletronica e o prestech. ou pre esticar. isso a ajuda a manter a libragem.
    Bons Parabéns pelo blog.. adorei.
    grande abraço
    Matheus Paschoal

    www.actionvirtual.com

    ResponderExcluir
  4. Bom dia, Dado, parabéns pelo Blog.
    Eu tenho uma Head Microgel Radical MP, encordoei em uma máquina eletrônica com uma corda de polyester, pedi pra colocar 55lbs, aí o encordoador (muito conceituado aqui em Sorocaba) disse q a máquina eletrônica deixa a corda mais esticada (na verdade a manual é q deixa com pressão menor do q o indicado) então ele me disse q dá uns 10% a mais de pressão em relação à manual... acabei não botando muita fé e pedi pra colocar 54lbs... resultado: a corda tá dura pra caramba, pouco spin e pouca potência, bom controle. Agora minha pergunta é: realmente a máquina eletrônica coloca uns 10% a mais de pressão ou isso aconteceu pq a corda é de polyester e li no seu outro post q elas devem ser encordoadas com no máximo 50lbs (ou seja... 45lbs numa máquina eletrônica)? Se for assim da próxima vez vou pedir pra ele colocar 44lbs na eletrônica ou se for uma máquina manual vou pedir umas 48lbs...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também notei a diferença entre manual e eletrônica, e acho que deve ser em torno de 10% mesmo. Aconteceu a mesma coisa comigo, não dei bola e o que aconteceu? Minha corda com 55 lbs na eletrônica ficou muito dura. Agora já sabemos........

      Excluir
    2. Isso é a maior história para boi dormir. Se a máquina estiver calibrada corretamente e o poliéster for encordoado corretamente não há diferença alguma. A diferença é a forma de encordoar o poliéster. Numa máquina eletrônica deveria ser feita a regulagem da velociadde de puxada para o mais devagar possível e só "clampear" a corda depois de uns 5 seg. antes de ir para próxima corda. O poliéster se for esticado rápido demais perda a capacidade elástica sofrendo o que en engenharia se chama deformação plástica. Na máquina manual isso é menos perceptível porque a velocidae de tensionamento é dado pela velocidade de "puxada" do operador. O problema é na correria de querer encordoar o mais rápido possível, poruqe no brasil o serviço de encordoamento é ridiculamente barato, o encordoador raramente para para encordoar o poliéster da maneira correta, fazendo como se fosse uma sintética comum o que acaba com as propriedades da corde de poliéster que são semelhantes mecanicamente ao funcionamento de uma mola ou de uma corda de violão.
      Quer saber se sua raquete com poliéster foi encordoada corretamente?! fácil. Começou batendo com ela e parece um pedaço de madeira mas depois de um único set a diferença já é muito óbvia na perda de tensão (por muito óbvia quero dizer muito maior que na perda de uma corda comum, afinal sempre vai ter uma perda) sua raquete foi mais uma das encordodas as pressas, ignorando totalmente a necessidade do material para seu melhor desempenho.

      Excluir
  5. eu tenho 14 anos e encordouo a 2 anos em uma maquina manual eu uso uma yonex rdis 100 315 g e realmente sinto uma diferença de libragem entra a manual e eletronica por causa do pre stresh porque eu sempre gostei de uma libragem alta em torno de 55 lbs eu encordoava na maquina Babolat Sensor e agora encordoo naquela primeira maquina que voce postou a prince neds e eu coloco 55lbs e sinto bem a diferença ...

    ResponderExcluir
  6. amigo qto vale a maquina babolat star 5? obrigado e parabéns pelo site

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende do estado, mas aqui no Brasil é uma grana alta, pelo menos uns R$ 10.000. E é bem difícil de achar pra comprar, pois quem utiliza são as lojas e elas geralmente repassam a máquina de volta para a fábrica quando vão trocar.

      Abraço!

      Excluir
  7. Dado, as máquinas de encordoar nacionais da TMS (http://www.tmsmaquinaencordoar.com.br) seriam do tipo "alavanca" ? Essas máquinas da TMS, na sua opinião, seriam emlhores que as da Gama, ou outras importadas ?

    Abraço,

    César

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. César, nunca utilizei uma TMS, mas pelo que vi da estrutura, parece ser um tanto mais frágil do que as Gamma. Além disso, as TMS não tem opção de máquinas com os grampos fixos na mesa. Mas também não posso me estender muito porque nunca usei.

      Abraço!

      Excluir
  8. Dado, tudo bem?

    Você tem alguma indicação de curso para encordoar raquetes no Brasil?

    Um abraço e parabéns pelo blog, sensacional!!

    JP

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...